30 de ago de 2014

Everton vs Chelsea e o festival de golos

Jogo atípico até para a Premier League. 9 golos em 90 minutos não é coisa a que se assista todos os jogos. No que diz respeito à emoção foi um jogo perfeito já no que diz respeito à organização deixou muito a desejar. Defensivamente foram muitos os erros cometidos por ambas as equipas, fator que contribuiu muito para o elevado número de golos marcados. 

Mourinho voltou a desiludir, mesmo tendo o Chelsea goleado o Everton em sua casa. Começou cedo a ganhar e isso foi prejudicial para a qualidade do futebol apresentado. Baixou muito as linhas e deu o controlo do jogo ao adversário tendo como único objectivo aproveitar as transições. Ter Ramires e não ter Oscar apresenta um decréscimo de qualidade muito grande, principalmente em organização ofensiva. Infelizmente Mourinho continua com a ideia de que para defender melhor um resultado vantajoso deve meter o maior número de defesas e trincos possíveis em campo. Terminou o jogo com 5 defesas e 2 trincos em campo.

Alguns erros na organização defensiva do Chelsea resultaram em 3 golos sofridos, alguns facilmente evitáveis como por exemplo o lance do 2º golo:

Individualmente destacar 3 jogadores: Matic, Fábregas e Diego Costa. Os dois primeiros pela qualidade que oferecem em posse. Critério e qualidade de passe, tomada de decisão e qualidade técnica fazem deles uma das melhores duplas de médios do Mundo. Diego Costa, não oferece praticamente nada a não ser no momento da finalização, mas a verdade é que nesse momento tem contribuído da melhor maneira. 4 golos em 3 jornadas. Muito bem principalmente no que diz respeito a explorar a profundidade. Infelizmente no resto revela-se um jogador fraco. Muito mal nos apoios, na recepção e no passe, acumulou mais de uma dezena de perdas de bola. 

No que diz respeito ao Everton, o destaque (negativo) vai obviamente para a sua organização defensiva. Demasiados erros para um jogo só, ainda por cima contra a equipa mais forte individualmente da Liga Inglesa. Apesar de ser uma equipa bem organizada defensivamente, a sua linha defensiva não funciona como uma verdadeira linha e isso foi bem visivel no jogo frente ao Chelsea. Demasiado o espaço entre os elementos e má coordenação entre os centrais são dois exemplos claros de debilidades defensivas que este Everton apresenta e que muito contribuíram para o facto de terem sofrido 6 golos no seu próprio estádio. 






27 de ago de 2014

Bolas paradas


O vídeo falar por si. Dentro da área, recebe com o pé e finaliza como se de 1x0 + GR se tratasse. É isso Benítez, deixa lá a marcação à zona para quem vai à Champions. 

26 de ago de 2014

Desorganização defensiva do Liverpool

Mais observações sobre o que é a organização defensiva do Liverpool, ou como o titulo do post indica, a desorganização defensiva. É pouco aceitável que sendo o 3º ano à frente do Liverpool, Brendan Rodgers apresente uma equipa tão má defensivamente. 




25 de ago de 2014

Controlo da profundidade

Para uma equipa que tem como objectivo defender num bloco alto torna-se imprescindível ter uma linha defensiva que saiba controlar a profundidade nas suas costas. Saber quando e como o deve fazer. A linha defensiva do Liverpool não sabe reagir aos estímulos e com isso comete vários erros fatais. Quando o portador da bola se encontra em progressão ou sem contenção a linha defensiva deve baixar uns metros, controlando o espaço entre a sua baliza e a linha defensiva. Este devia ser um comportamento táctico dominado por todos os elementos da linha defensiva. Infelizmente para o Liverpool, tal não acontece por demérito do seu treinador.

24 de ago de 2014

Diferenças


Será assim tão complicado fazer com que a linha defensiva funcione como uma verdadeira linha?




20 de ago de 2014

R de Real ou de Ridículo ?

Não se pode chamar equipa ao conjunto de jogadores do Real Madrid que ontem entrou no Bernabéu para discutir a 1ª mão da Supertaça Espanhola. 

Não existe qualquer fio de jogo comum a todos os jogadores quando a equipa se encontra em organização ofensiva. Numas zonas do campo joga-se mais apoiado, noutras nem um apoio próximo ao portador da bola existe. Numa zonas temporiza-se e procura-se o colega melhor colocado para receber a bola,  noutras arranca-se com a bola mesmo em clara inferioridade numérica. Qual é o modelo de jogo que Ancelotti quer para o seu Real Madrid? 

Não há equipa, há jogadores apenas. É incompreensível como é que um treinador que tem ao seu dispor jogadores como Modric, James, Kroos, Benzema, Ronaldo, Bale, Isco e etc jogue um futebol tão pobre, para não dizer pior.  


18 de ago de 2014

Tottenham de Pochettino

Breve análise ao que foram os primeiros 30 minutos do novo Tottenham, altura do jogo em que os spurs ficaram reduzidos a 10 elementos. Mesmo sem terem conseguido criar muitas situações de finalização, os princípios demonstrados deixam água na boca. Mérito para o seu treinador.  










Fábregas


Ramires ou Fábregas no duplo pivot? A escolha é óbvia Mourinho



14 de ago de 2014

Introdução

Assim como o blog, a introdução vai ser uma coisa bastante fraca. A criação deste local de design deprimente tem como objectivo principal falar sobre tudo o que diga respeito à vida dos famosos. Desde o silicone da Alexandra Lencastre aos implantes capilares do José Carlos Pereira e passando pelos fatos do Manuel Luís Goucha, este blog irá abordar os assuntos mais interessantes, enriquecedores e entusiasmantes da vida de todos os famosos do nosso Portugal. Também José Castelo Branco será um assunto muito bem esmiuçado neste blog. 

Vá agora a sério, é só mais um local para se falar, discutir e rir sobre futebol. 
© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis