28 de dez de 2014

Mourinho e o novo Chelsea


«A nossa criatividade vem da qualidade dos jogadores e da ideia de jogo que temos vindo a perseguir desde o início da época.»

«Somos muito melhores quando temos a bola. Na temporada passada éramos muito fortes defensivamente e organizados, mas faltávamos criatividade. O desafio, nesta temporada, era trazer essa criatividade e dinâmica sem perder as qualidades defensivas»

Foram estas as declarações de Mourinho há 2 ou 3 dias, e presumo que hoje ainda acredite nelas. Diz Mourinho que a criatividade do seu modelo de jogo vem da qualidade dos seus jogadores e da ideia de jogo que tem vindo a trabalhar durante o inicio da época. A 1ª parte da sua afirmação é facilmente confirmável se olharmos para o 11 base do Chelsea este ano. Com Fábregas Matic, Oscar, Willian e Hazard, qualidade técnica e criatividade é coisa que não falta. Já a 2ª parte, ou seja, a que diz respeito à ideia de jogo, neste caso o processo ofensivo, é que me parece totalmente errada.

Não só não são principios coletivos de qualidade, como em nada evoluíram em relação à época passada. O Chelsea, neste momento da época, assim como o do ano passado, depende muito da qualidade individual dos seus executantes porque os seus comportamentos coletivos ofensivos são fracos, para não dizer pior. Não era este o Chelsea de inicio de época.. 















27 de dez de 2014

Seja bem-vindo Mata




Que bom que é ver a qualidade técnica, a inteligencia e a criatividade tudo junto num só jogador







25 de dez de 2014

Podes repetir, Muller?


«É mais fácil jogar se tens sempre a posse de bola, isto porque pensas: “Se tenho a bola quase sempre, então o adversário não pode criar perigo".» Muller


Muller disse jogar mas podia ter dito defender e a afirmação continuava a ser totalmente verdadeira, embora muitos e bons treinadores continuem a pensar que para defender bem é preciso recuar as linhas, abdicar de ter a bola e colocar em campo jogadores de características mais defensivas, a verdade é que se a tua equipa tem a bola, então o adversário não pode criar perigo. 

O Bayern de Pep Guardiola é o espelho de como bem defender com bola e isso reflete-e ao nível do número de golos sofridos na Bundesliga. Os 4 golos sofridos com 17 jornadas decorridas fazem da formação bávara uma das equipas menos batidas da Europa, isto se não for mesmo a menos batida. Não tendo como objectivo manter a posse de bola só para evitar que o adversário a tenha, a verdade é que através da sua excelente organização ofensiva, da qual faz parte a  elevada % de posse de bola com qualidade que tem em cada encontro, a equipa de Guardiola não possibilita aos adversários a oportunidade de criar muitas situações de perigo para a baliza de Neuer. 







21 de dez de 2014

Cobertura e contenção


Nem sempre a linha da cobertura deve estar mais baixa que a contenção. Em zonas mais próximas da baliza, ou seja, onde um remate pode facilmente dar golo, ambas as linhas devem estar o mais próximas possíveis, para que caso a contenção seja batida, o portador da bola não tenha tempo nem espaço para executar.

No 1º golo do Liverpool, foi este o comportamento defensivo do Arsenal. 

8 de dez de 2014

Maurício Nascimento


Toda a inteligencia de Mauricio demonstrada num pequeno lance 


© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis