28 de dez de 2014

Mourinho e o novo Chelsea


«A nossa criatividade vem da qualidade dos jogadores e da ideia de jogo que temos vindo a perseguir desde o início da época.»

«Somos muito melhores quando temos a bola. Na temporada passada éramos muito fortes defensivamente e organizados, mas faltávamos criatividade. O desafio, nesta temporada, era trazer essa criatividade e dinâmica sem perder as qualidades defensivas»

Foram estas as declarações de Mourinho há 2 ou 3 dias, e presumo que hoje ainda acredite nelas. Diz Mourinho que a criatividade do seu modelo de jogo vem da qualidade dos seus jogadores e da ideia de jogo que tem vindo a trabalhar durante o inicio da época. A 1ª parte da sua afirmação é facilmente confirmável se olharmos para o 11 base do Chelsea este ano. Com Fábregas Matic, Oscar, Willian e Hazard, qualidade técnica e criatividade é coisa que não falta. Já a 2ª parte, ou seja, a que diz respeito à ideia de jogo, neste caso o processo ofensivo, é que me parece totalmente errada.

Não só não são principios coletivos de qualidade, como em nada evoluíram em relação à época passada. O Chelsea, neste momento da época, assim como o do ano passado, depende muito da qualidade individual dos seus executantes porque os seus comportamentos coletivos ofensivos são fracos, para não dizer pior. Não era este o Chelsea de inicio de época.. 















8 comentários:

Bozniak disse...

Bela análise Honoris. Gosto sempre muito de ver este género de análises ao modelo de jogo de uma equipa.
Já agora, aprecio imenso o novo visual do blog, ficou muito bem conseguido!

Artur Semedo disse...

ui! atreves-te a pôr em causa as sacrossantas ideias do grande líder ideológico da turbamulta tasqueira?
obs: aqueles dois aparecem dentro do bloco porque os médios do southampton subiram um pouco e eles não tiveram tempo de descer convenientemente para trás da linha da bola! que é como deve ser, para anular todo o risco: quer de sofrer golo, quer de jogar bem!

Gonçalo Matos disse...

grande, Honoris! rasga aí o Mou que ele merece! é só questão de se ver este post e ir comparar com o do Basileia no LE e percebe-se as diferenças!
tb gosto mto deste novo visual!

Honoris disse...

Até parece um blog bom agora xD

Quanto ao Mourinho, é triste ver um treinador que já deu tanto ao futebol apresentar um futebol destes...

DC disse...

Muito bom! Fartei-me de rir com a do gajo sozinho :)

Futebol Táctico disse...

Aquele boneco que desenhaste partiu-me todo ahahah

Mas é a triste realidade do futebol de Mourinho ... super organizados defensivamente, muito dependentes da qualidade individual dos jogadores que tem no momento ofensivo. O incrível é que na Premier League isso chega, chega a ser absurdo!

Continuação de um bom trabalho!

B Cool disse...

Vou deixar aqui a questão que deixou no chat, até que ponto é que a qualidade dos executantes determina a qualidade do jogo, isto é, no jogo com o West Ham, viu-se um jogo melhor, com o Diego costa a fazer, tentar fazer, apoios frontais, com algumas combinações dentro do bloco e sempre que o Matic conseguia linhas de passe, o Fabregas não recuava para junto dele. A largura à direita é mais assegurada pelo Ivanovic que pelo Willian e o Óscar ao meio assegura algum jogo dentro do bloco. Hazard pelo contrário parece-me sempre mais individualista. É óbvio que com a qualidade de executantes que tem que se exigia uma melhor qualidade, mas com Mikel e Schurrle é natural que as soluções sejam de pior qualidade.

Honoris disse...

B Cool

Claro que a qualidade dos executantes facilita as coisas mas também não deixa de ser verdade que independentemente de quem joga, os principios coletivos devem ser de qualidade.

Já gostei de vários jogos que o Chelsea fez este ano mas cada vez mais acho que a ideia de jogo do Chelsea não mudou, o que mudou e bem, foi o nº de jogadores criativos que o Mourinho coloca no 11.

© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis