15 de fev de 2015

Celta de Vigo vs Atlético de Madrid: a diferença entre o querer e o fazer


Todas as equipas querem os 3 pontos a cada jogo (quase todas vá), no entanto, umas entram em campo com a missão de fazer por isso, e outras apenas esperam para ver o que o jogo dá. O jogo entre Celta e o Atlético de Madrid foi um exemplo bastante claro da diferença entre o querer ganhar e o fazer para ganhar.

Duas posturas completamente diferentes. Uma, expectante, defensiva, com as linhas muito baixas e outra a querer dominar e controlar o jogo, a pressionar alto, a tentar desorganizar o adversário de modo a criar situações para finalizar.

Não é que seja surpreendente ver a equipa comandada por Simeone abdicar de ter a bola, mas chegar ao intervalo com menos de 30% de posse de bola é um dado que mostra bem o que foram os primeiros 45 minutos do campeão espanhol. Uma primeira parte em que nada fez para ter a bola, para desorganizar o adversário e com isso criar situações de finalização, limitando-se apenas a esperar pelo erro do adversário para conseguir explorar o espaço em transições rápidas.

Do outro lado, um Celta de Vigo a querer nitidamente construir e criar com qualidade. A querer penetrar no bloco adversário para criar situações de finalização. A querer entrar com a bola controlada dentro da área adversária. Sempre a tentar envolver vários jogadores em organização ofensiva, sempre a tentar ter superioridade numérica na zona da bola.

Mesmo com uma qualidade individual bastante superior ao adversário, o Atlético passou grande parte dos 90 minutos a ver o Celta controlar o jogo por completo. Vitória mais que justa da única que equipa que fez o que lhe competia para vencer o jogo.

Para finalizar, uma referência para o que foi na minha opinião o melhor em campo, Nolito. Excelente a exibição do extremo espanhol. Muita qualidade técnica, muita criatividade , muita capacidade para criar desequilíbrios mesmo em espaços reduzidos. Foi sempre uma constante dor de cabeça para a linha defensiva do Atlético de Madrid. Desde de passar a bola por baixo das pernas dos adversários a passar por cima da cabeça dos mesmos, a exibição de Nolito teve de tudo, e tudo com grande qualidade em prol do colectivo. 








13 comentários:

Rafael Antunes disse...

Até hoje não consigo perceber porque é que este gajo não entrou no goto do JJ...

Gonçalo Matos disse...

vi o inicio do jogo e o Nolito estava a brincar com a defesa do Simeone, impressionante. Também gosto do Krohn-Deli.

Hoje houve um jogo fixe, apesar de esperar mais, que foi Rayo-Villarreal. E mais uma vez, com gente a tentar atacar, com malta dentro do bloco, com capacidade para procurar profundidade mas também apoios próximos.

Já viste o Bordéus do Sagnol? Vi um bocado hoje e gostei da org. of e do defesa direito.

Só para ajudar a bater no Simeone, na ultima imagem, achas que vão por um portico da via verde entre o def direito e o central do Atleti? kkkkkk

Um abraço e continua com o bom trabalho!

Honoris disse...

Não vi mas quero ver se amanhã o vejo (Rayo vs Villarreal). Mas acredito no que referes. São duas equipas que tentam jogar futebol mesmo tendo menos qualidade individual quando comparadas com outras equipas que jogam pior mas ganham graças aos executantes que têm.

Por acaso não tinha reparado no lateral ahaha E depois ficam chocados quando se diz que a organização defensiva do Atleti é mais agressividade que qualidade

Gonçalo Matos disse...

Depois diz-me o que achaste! Esperava mais qualidade com bola, das duas equipas... Mas o Rayo ainda tem a desculpa de ter mesmo muito pouca qualidade individual. No Villarreal, o Gio continua a espalhar aquela magia que tinha quando era miudo... Não percebo como nunca safa em planteis com mais qualidade individual

Anônimo disse...

Achas que o atletico geralmente defende bem?

Honoris disse...

Acho que não Anónimo.

Acho que a agressividade de cada jogador e o facto de jogarem sempre muito recuados e com muitos jogadores atrás da linha da bola disfarça muitas fragilidades da organização defensiva.

Quando há situações mais complexas, como por exemplo o lance do 2º print aqui no post, revelam lacunas enormes

Gonçalo Matos disse...

Só para juntar aqui qualquer coisa, que também tem a ver com a tal agressividade, acho que são fortes a reagir a perda da bola...

Honoris disse...

Sim sim, sem dúvida. São rápidos a pressionar quando perdem a bola e são rápidos a recuperar defensivamente colocando logo muitos jogadores atrás da linha da bola

PicaretaLeonina disse...

Gonçalo, o Villareal poupou alguns dos titulares para o jogo da Liga Europa(nomeadamente o Vietto, que é um jogador soberbo), a qualidade individual também não era muita.

Adriano Fernandes disse...

"O atletico é das melhores equipas do mundo a defender" ou tu é que nao sabes atacar, Ancelotti eheh

Futebol Táctico disse...

Este Atlético de Madrid numa prova de regularidade onde existam equipas de menor valia individual e tenha de assumir o jogo é sofrível. Não consegue destabilizar e desorganizar o bloco adversário. Não o consegue penetrar. Limita-se a jogar por fora e tentar criar superioridade ou igualdade na área para tirar o cruzamento. Defensivamente defende com muitos q, mas defende mal. Simeone têm um futebol básico, conseguiu um feito histórico que nunca mais vai conseguir. As únicas competições que o Atl está talhado para ganhar são provas a eliminar, e mesmo assim sera difícil ter sucesso numa Champions contra equipas como o Barça ou o Bayern.

Gonçalo Matos disse...

Picareta,
Gio, campbell, moi Gomez.. O Vietto é mesmo muito forte, só o vi a primeira vez contra o Barcelona e fiquei muito ssurpreendido.

Roberto Baggio disse...

é fácil ganhar a este atletico de madrid... é só n ter vergonha/medo de jogar futebol.

© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis