29 de nov de 2015

Francisco Geraldes: Criatividade é isto

É deste tipo de jogadores que o campeonato português precisa. Haja quem lhes dê oportunidades para mostrarem toda a qualidade técnica, inteligência e criatividade que têm para oferecer. Assim pode ser que as desculpas para não se praticar bom futebol terminem. É formar e dar oportunidades a jogadores como o Geraldes e muitos outros, que o resto eles fazem e bem. 

(mesmo lance, outro ângulo)





27 de nov de 2015

Lokomotiv vs Sporting: Jogadores diferentes, comportamentos iguais

Apesar de ter mudado vários jogadores de posição e de muitos deles não serem habituais titulares, os comportamentos colectivos estiveram todos lá. É no treino que uma equipa é construída e apesar dos executantes serem diferentes, todos sabem perfeitamente o que têm que fazer em cada momento do jogo. Mérito total para o mister Jorge Jesus. Enquanto alguns treinadores nem conseguem apresentar comportamentos colectivos de qualidade com os 11 habituais titulares, Jesus fá-lo rodando metade da equipa/mudando vários jogadores da sua posição habitual, mostrando que é de longe o melhor treinador em Portugal.

A bola vai passando de pé para pé, e a equipa move-se, movimenta-se. Sempre de forma pensada. Sempre de forma assertiva. É fácil ter bola em equipas que multiplicam as linhas de passe. É mais fácil dar seguimento às jogadas. É mais fácil brilhar e fazer bem. Lateral Esquerdo

Corredor central sempre com vários elementos. Muita proximidade. 
Jogadores no espaço entre linhas, nas costas da pressão do adversário. Lateral dá largura, extremo é opção no corredor central
Extremo dentro, nas costas da pressão. Lateral da largura. Ruiz sempre a procurar o melhor espaço para receber
Muita liberdade para Ruiz no papel de 2º avançado. Baixa para organizar, Matheus nas costas da pressão. Mudam os jogadores, mudam-se as posições, mas os comportamentos são os mesmos, percebidos por todos. 
Laterais bem abertos dão largura, extremos bem dentro dão jogo interior. Jogue Jefferson e JP ou Esgaio e Jonathan, jogue JM e Ruiz ou Matheus e Gelson, os comportamentos são os mesmos, as ideias são as mesmas
Linhas de passe em todas as direções. Uns aproximam para ser opção em apoio, outros pedem na profundidade.
Opções no corredor central. Costas da pressão. Espaço entre linhas sempre ocupado. Portador da bola com várias opções
Bola perdida, reação agressiva. Jogue quem jogar, o portador da bola é pressionados e as linhas de passe próximas tapadas.
Montero pede na profundidade, Ruiz nas costas da pressão
Extremos a combinar. Proximidade entre jogadores, mais e melhores soluções para criar


25 de nov de 2015

Porto vs Kiev: Apenas um jogo mau?

O Porto fez ontem um dos piores jogos dos últimos tempos. Vários jogadores a cometer erros que é muito raro cometerem + erros recorrentes de jogadores muito elogiados + modelo de jogo do treinador = contas da Champions muito complicadas.

24 de nov de 2015

O Sporting de JJ e o Benfica da Estrutura


Quantos mais jogos entre ambos, maior a certeza de que o Sporting é muito, mas muito mais equipa que o Benfica. Mérito total para o seu treinador (ou será para a estrutura do Sporting?!). O salto qualitativo que o Sporting deu é enorme. O que antes era raro acontecer, agora acontece quase sempre. Uma equipa organizada em todos os momentos do jogo, apesar de ainda ter muito para evoluir como é natural que aconteça nesta fase da época. Muito difícil encontrar situações em que o portador da bola não tenha várias opções de passe; Muito difícil encontrar os jogadores do Sporting em inferioridade numérica, seja a atacar ou a defender. Muito difícil encontrar lances em que os jogadores do Sporting não reajam de forma agressiva à perda de bola. Em tudo o que é colectivo, este Sporting é claramente superior ao Benfica. 

 

                            
Maior proximidade a defender, maior facilidade em sair da pressão de forma apoiada




23 de nov de 2015

Ewerton, o melhor central do campeonato

Bem fisicamente, é na minha opinião, o melhor central do campeonato. O único capaz de apresentar qualidade em todos os momentos do jogo. Importante na fase de construção pela qualidade com que conduz e passa. Importante nos momentos de transição ofensiva porque não se limita a cortar a bola, preocupa-se em entrega-la jogável a um colega.

19 de nov de 2015

Lopetegui: O homem que escreve torto por linhas direitas

«Não acredito em estilos definitivos. Somos uma equipa que deseja ter muita posse de bola porque acreditamos que assim atacamos e defendemos melhor. Isso não significa que vamos desperdiçar os espaços para fazer uma transição rápida. Às vezes um passe longo, para a frente, é o melhor». 
Pergunta: Como é que um treinador, que tem noção de que sua equipa será mais forte quanto melhor souber jogar o que o jogo dá, pode ser tão obcecado com as variações de flanco, mesmo quando há condições para jogar pelo corredor central, no espaço entre linhas?

Respostas:

a) Tem um transtorno compulsivo-obsessivo por linhas laterais 

b) Criar exercícios para trabalhar o jogo entre linhas dá muito trabalho e depois não tem tempo para ver a sua novela espanhola preferida

c) É o treinador "mais do contra" do Mundo. Isto é, como sabe que deve jogar o que o jogo dá, trabalha para que o contrário aconteça

É votar pessoal


© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis