27 de nov de 2015

Lokomotiv vs Sporting: Jogadores diferentes, comportamentos iguais

Apesar de ter mudado vários jogadores de posição e de muitos deles não serem habituais titulares, os comportamentos colectivos estiveram todos lá. É no treino que uma equipa é construída e apesar dos executantes serem diferentes, todos sabem perfeitamente o que têm que fazer em cada momento do jogo. Mérito total para o mister Jorge Jesus. Enquanto alguns treinadores nem conseguem apresentar comportamentos colectivos de qualidade com os 11 habituais titulares, Jesus fá-lo rodando metade da equipa/mudando vários jogadores da sua posição habitual, mostrando que é de longe o melhor treinador em Portugal.

A bola vai passando de pé para pé, e a equipa move-se, movimenta-se. Sempre de forma pensada. Sempre de forma assertiva. É fácil ter bola em equipas que multiplicam as linhas de passe. É mais fácil dar seguimento às jogadas. É mais fácil brilhar e fazer bem. Lateral Esquerdo

Corredor central sempre com vários elementos. Muita proximidade. 
Jogadores no espaço entre linhas, nas costas da pressão do adversário. Lateral dá largura, extremo é opção no corredor central
Extremo dentro, nas costas da pressão. Lateral da largura. Ruiz sempre a procurar o melhor espaço para receber
Muita liberdade para Ruiz no papel de 2º avançado. Baixa para organizar, Matheus nas costas da pressão. Mudam os jogadores, mudam-se as posições, mas os comportamentos são os mesmos, percebidos por todos. 
Laterais bem abertos dão largura, extremos bem dentro dão jogo interior. Jogue Jefferson e JP ou Esgaio e Jonathan, jogue JM e Ruiz ou Matheus e Gelson, os comportamentos são os mesmos, as ideias são as mesmas
Linhas de passe em todas as direções. Uns aproximam para ser opção em apoio, outros pedem na profundidade.
Opções no corredor central. Costas da pressão. Espaço entre linhas sempre ocupado. Portador da bola com várias opções
Bola perdida, reação agressiva. Jogue quem jogar, o portador da bola é pressionados e as linhas de passe próximas tapadas.
Montero pede na profundidade, Ruiz nas costas da pressão
Extremos a combinar. Proximidade entre jogadores, mais e melhores soluções para criar


13 comentários:

Simoes disse...

Primeira vez que comento, queria dar os parabens. Não só a ti por mais um excelente post, mas tambem ao nosso Sporting por mais uma exibição personalizada, enche-nos de orgulho.

Continua o bom trabalho, que entre entre records e prolongamentos, o que menos se fala e de futebol. Resta nos a blogs como este, lateral esquerdo etc..

Por ultimo, gostava de saber onde consegues acesso aos jogos inteiros? não pude ver quase a primeira parte toda, gostava de rever o jogo.

Cumps

Honoris disse...

Alguns gravo eu, outros saco através do link que metem no forum do Sporting. Se fores ao topico do jogo em questão está lá

Cumprimentos

Gonçalo Matos disse...

ontem comentava com o ronaldinho do posse e queria saber qual a tua opinião.
não te parece que este sporting tem mto mais bola que o benfica e é mto mais uma equipa de org of que de transição que o slb?

Honoris disse...

Que o Benfica do JJ?

Gonçalo Matos disse...

ya, este agora não conta

Gonçalo Matos disse...

nao sei se enviei há pouco. era sobre o slb do JJ, este nao conta

hra disse...

Sim gonçalo. mas isso é devido aos jogadores. Jesus dá liberdade total para os jogadores decidirem como querem no ultimo terço do campo.

Os principios podem ser os mesmos mas ter Ruiz e JM nas alas é diferente de ter Gaitan e Salvio. Os primeiros dão-te + 'chocolate', os segundos dão te + 'veneno'. Acho que me fiz entender.

Anônimo disse...

Simões, podes ver aqui e em português:

http://www.matchhighlight.com/full-matches-review/primeira-liga/sporting-lisbon-vs-sl-benfica/

Honoris disse...

Também acho que tem a ver com as características dos jogadores. O Ruiz e JM forçam muito menos o 1x1 quando comparados com Salvio e Gaitan por exemplo.

Gonçalo Matos disse...

Então isso leva-me a perguntar o seguinte:
segundo o hra, a menor aposta na transição é sobretudo uma decisão dos jogadores, que achas tu Honoris?

Eu acho que houve uma alteração do modelo, por parte do JJ, em função do que os jogadores podem oferecer.

Já agora, acho que há jogadores do Sporting que buscariam mto mais a transição do que fazem, se os deixassem. Como o Slimani, o Adrien, os laterais e gajos como o Naldo, com limitações técnicas.

Honoris disse...

Claro que ele ao JM deve pedir coisas diferentes do que pedia ao Salvio, porque tem consciência daquilo que o JM lhe pode dar. Bem como quando se fala de Ruiz e Gaitan. Há uma adaptação do JJ aos jogadores que tem, concordo. Mas ao dar-lhes liberdade, era natural que isso acontecesse de forma natural. Não sei se me estou a fazer entender..

Anônimo disse...

Só de pensar que podíamos ter algo como: Patricio, Esgaio, Paulo Oliveira, Ewerton, Jefferson(Espero que em breve Marvin), William, João Mário, Carrillo(este seria titular, não é por JJ claro), Gauld, Ruiz e Montero como 11, mais Naldo, Paulista, André Martins, Matheus Pereira, Francisco Geraldes, Gelson(este não gosto muito, mas vem de 2 bons jogos e tem potencial) neste modelo de JJ... Infelizmente isto não passa de um sonho impossivel e João Pereira, Adrien, Teo, Slimani etc tem lugar cativo.

Francisco Magalhaes Pinto disse...

Bons comportamentos, transições e processos, nota-se o upgrade em relação a Marco Silva. Porém, neste jogo, se Naldo não tivesse feito um bom trabalho a marcar Niasse e a pressão sobre Manuel Fernandes não tivesse sido bem feita, teria sido um perigo muito grande jogar contra esta equipa no estilo de jogo deles.

© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis