13 de dez de 2015

O "dar nas vistas" de Djuricic

Independentemente da maneira como foi obtido o golo, do passe, da receção, etc, Djuricic mostrou o tipo de jogador que é. Alguém que pensa primeiro no colectivo e só depois nele. Alguém que percebe que uma assistência vale tanto como um golo. O Djuricic quase não tem jogado, factor esse que podia ter influenciado a sua decisão. A maioria dos jogadores, caso tivessem na situação dele, não iam perder aquela oportunidade para fazer golo e "dar nas vistas". 

11 comentários:

Liondamaia disse...

Parece-me um lance puramente acidental, uma assistência...involuntária.

Anônimo disse...

É uma decisão má. Ele trocou um 1xGR por um passe para um jogador que está atrás de três adversários. Porquê? Falta de confiança. Com confiança, arriscava rematar. Sem confiança, teve medo. Como todos sabemos, podemos a partir do medo de um jogador perceber que é muito bom colectivamente.

José Miguel disse...

Vamos com calma que este mesmo jogador com JJ fartou-se de desaproveitar oportunidades... E estes mesmos elogios que agora sao feitos na altura era ao contrario ou seja ele só queria bola pra ele e resolver tudo sozinho.

Vamos ter calma e ver se isto é pra repetir se o jogador melhorou ou se é só "fogo do momento".

Duarte Palha disse...

Gosto do principio do que fez, mas de facto não acho que tenha sido a melhor decisão. A assistência não vale mais do que um golo quando se vai 1xgr e após a assistência fica 1x1+gr. Apesar do principio do que fez ser muito bom, a decisão não foi a melhor.

p.s. gosto muito do Djuricic a mesma

DM disse...

Acidental é quando se afasta daquilo que é o perfil do jogador. O que não é o caso.

Fábio C disse...

Apesar de não ter visto o suficiente (infelizmente) do Djuricic para poder ter uma ideia mais correcta, concordo que seja um jogador com esse perfil. Nos tempos do JJ, achava que ele não jogava porque não era o tipo de jogador que ele gosta, aliás, nunca entendi a sua contratação porque era óbvio que não ia jogar. Mas depois disso já passou por muitos treinadores e nenhum achou que devia jogar...
Em relação ao lance, parece-me que no caso o melhor mesmo era o remate. Apartir do momento que ele faz a recepção começou logo a olhar para o lado quando tinha imenso espaço para ir para a baliza. Logo aí percebi que ia passar. Vendo isto, a ideia que fico é que nesta situação ele não pensou tanto na equipa, teve simplesmente falta de confiança para arriscar falhar, quando me parece que era mesmo o melhor nesta situação.

David Cardoso disse...

O problema dele q quando o SLB joga com equipas fechadas na defesa como são a maioria dos jogos em Portugal ele tem muita dificuldades , ele se destacou ma holanda onde existe muito espaço para se jogar e contra o Setubal ele achou uma equipa balançada no ataqe correr atràs do prejuizo , è um jogador com muitas dificuldades de aparecer solto no espaço entre linhas e mesmo com bola sempre q acha um adverssario q se fecha muito ele tem dificuldades em consseguir ter o melhor critèrio, da pra perceber qe tem qalidade mas nao conssegue manter a intessidade em 90 mn de jogo

Tiago disse...

Pois eu aposto que levou na cabeça do Rui por não ter chutado.

Anônimo disse...

Levou na cabeça por nao ter feito um cruzamento!

PP disse...

Concordo com a tua leitura Honoris.

;)

LGS disse...

Mas sem bola...

© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis