9 de nov de 2016

Oliver Torres

Do melhor que já passou pelo campeonato nacional. Simplesmente estonteante, a prestação de Oliver Torres num dos jogos mais exigentes da temporada. Até Luís Freitas Lobo viu! Sempre participativo nos momentos ofensivos. Sem bola, sempre a mostrar-se em apoio, com uma agressividade notável no posicionamento. Em apoio frontal (entre setores, dentro do bloco adversário), na primeira fase de construção, ou na profundidade. Onde o jogo o pede! Cada ação tem uma intenção clara, e as suas decisões aproximam quase sempre a equipa do sucesso. Com bola, joga vertical sempre que possível. É notável a facilidade com que queima linhas adversárias através do passe vertical. Em condução, temporiza para atrair. No preciso momento em que o adversário sai, solta para tirar a bola da zona de pressão. Solta no pé ou no espaço, conforme as circunstâncias do jogo e as características dos colegas. Sempre de cabeça levantada. Compreende perfeitamente o contexto que o rodeia, e decide muitas vezes antes de receber. Impressionante, não só pela quantidade de decisões e ações acertadas, mas acima de tudo pela sua preponderância. Em organização defensiva, sempre agressivo, incansável e decisivo. Rigoroso na ocupação do espaço em função da bola e dos colegas. Sai sempre em contenção. Em transição defensiva, muito agressivo a reagir à perda e a recuperar para trás da linha da bola.


Na 2ª passagem por Portugal, já não devia ser surpresa para ninguém. Aos 21 anos, Oliver sabe praticamente tudo do jogo e executa com uma perícia assinalável. Joga num nível muito acima do que é praticado por cá, na linha do melhor que há no futebol atual. Enquanto Diego Simeone teima em desperdiçar o enorme talento que tem em mãos, o pequeno craque espanhol vai espalhando magia por cada relvado que pisa. O futebol português agradece.


2 comentários:

Anônimo disse...

Só vi faltas dos de riscas não assinaladas pelo árbitro!

Gonçalo Mano disse...

Viva Honoris,

Eu fico doido com este gajo.

É que nem é só o que ele joga e faz jogar, porque é muito.

A agressividade defensiva dele é qualquer coisa de espectacular, o tipo mata uma transição a rir, vê tudo, onde está a bola, a baliza, os adversários e os colegas.

Incrível.

Excelente post.

Um abraço,

© Domínio Táctico 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis